Infância e contemporaneidade

Por entre o brincar de faz de conta, a espacialidade e a teatralidade

Pretendo contar no blog Agachamento como serão conduzidas as possíveis intervenções em espaços públicos que meus alunos da UFMG farão pela cidade de Belo Horizonte, sob minha supervisão, no verão de 2013. Neste processo estarei retomando um modo de pensar que desenhei/rabisquei para os alunos de uma graduação em Psicologia na cidade de São Paulo, cerca de 8 anos atrás. Este modo de pensar propõe pesquisa no corpo, no gesto e na palavra do aluno, que se transformará no estagiário zen.

Foto de rolhas 3

nos espaços encontrados tem objetos inusitados

O estagiário zen precisa ser capaz de esvaziar-se de pressupostos.

Precisa compreender inicialmente o que ele não é: ele não é professor de teatro estrito senso, ou seja, que ensina a linguagem para os alunos que aprendem; ele não é um animador cultural; ele não é nem ator nem performer… Então, o que ele é?

Foto de rolhas

quem além de mim enxerga teatralidade em rolhas?

Ele se tornará, no decorrer das semanas que antecedem o experimento teatral, um adulto condutor de um processo criativo espacializado por ele, compartilhado no mundo, e vivido pelo outro: residirá nisso a relação entre o faz de conta, os espaços encontrados e a noção de teatralidade. A noção de teatralidade revela um dos modos possíveis de pensar, definir, propor, mostrar o que pode ser teatro na contemporaneidade.

Gosto de partir do dizer: teatro é ação de ver.

Pois então, quem verá o que? Quem “age” e quem “vê”?, nesta proposta dos Tempos dilatados para espaços encontrados – nome com o qual batizei este procedimento.

O procedimento se iniciou com leituras e discussões sobre Monstros, medos e temores.

Mais tarde algo que se relaciona a isso será concretizado, tomará forma-conteúdo, em um espaço público.

Foto de rolhas 2

deixe as rolhas sussurarem algo no seu pé do ouvido

Esta concretização pode, sim, ser nomeada uma instalação. A instalação criada pelo aluno conterá sua poiesis, ou seja, sua poética própria, bem como sua concepção de teatralidade, a partir das referências estudadas e experienciadas no curso. A instalação será um dizer teatral no espaço; teatral porque rico em referências de tempo, espaço, ação e persona.

Como fazer isso é meu auto-enigma, meu projeto de pesquisa em andamento, em copertença com os alunos da licenciatura em teatro da EBA/UFMG.

 

2 comments for “Infância e contemporaneidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *