Dramaturgias do Espaço

Um caminho de pesquisa

Preparando uma fala para o evento da pós-graduação em Artes da Escola de Belas Artes da UFMG, fiquei feliz ao perceber como, nestes quase dois anos em Belo Horizonte, minha pesquisa tomou um rumo interessante, para além da moldura “teatro e educação”. Estou chegando à docência na Pós conectada em um eixo propositivo que estou nomeando Dramaturgias do Espaço.

O primeiro resultado, por assim dizer – ou na minha linguagem própria a primeira forma-conteúdo – foi um experimento teatral e plástico com os alunos de Estágio. O relato desta experiência acaba de ser publicado na revista Mimesis Journal, publicação italiana bilingue (meu texto ali chama-se Dilated time for found spaces). O texto narra brevemente, em lingua inglesa, a experiência com os alunos com foco na dificuldade que tiveram para… aparentemente, “não fazer nada”: esperar calmamente que um transeunte prestasse atenção em sua instalação, ou não. A isso nomeio atitude de estagiário zen. O valor disso para o graduando em Licenciatura em Teatro é conseguir prestar atenção nos alunos, futuramente: que suas aulas de teatro tomem rumo com base nas pessoalidades, corpos-corações-e-mentes dos alunos, e não apenas no projeto do professor com seus objetivos, metas, conteúdos e metodologias…

A segunda forma-conteúdo é um texto poético a ser lido diante de uma pequena instalação que “demonstra” a riqueza cênica da espacialidade do Parque Municipal Américo Renné Gianetti, no centro de Belo Horizonte. Apresentarei esta produção, parte de meu projeto “Potência das Dramaturgias do Espaço”, na tarde da próxima quarta-feira, dia 23 de abril, dentro do evento “I Seminário PPGArtes – Trajetória e novos rumos”. Aqueles que estão em Belo Horizonte poderão inscrever-se para este evento na manhã do dia 23, gratuitamente. Mais informações na página da Pós da Escola de Belas Artes: http://www.eba.ufmg.br/pos/

Roda Gigante

eu e minha pesquisa recém nascida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *