Quem serei

Serei um jarro de cinzas que sinceramente espero que meu filho leve para o túmulo do Cemitério do Redemptor, avenida Dr. Arnaldo esquina com rua Cardeal Arcoverde, bairro de Pinheiros, São Paulo, Brasil, Mundo.
Antes disso, perto de 2030, serei uma (quase)mineira, aposentada da docência e pesquisa pela UFMG.
No entanto, irremediavelmente menina, continuarei brincando de ser aeromoça: única profissão que eu não poderia escolher, no final da década de 1970, prognóstico do “teste vocacional” (“Você pode ser o que você quiser ser”, disse a psicopedagoga avaliadora. E eu pensei: “Menos aeromoça… não tenho a altura mínima…”).
Mas de amanhã em diante – parafraseando o juramento de Gregório Duvivier em um dos seus poemas – eu juro que a vida vai ser agora.