Convite à escuta do mapeamento do Léo / parte 2

parte 2

Além do aprendizado e das reflexões, Léo leva da disciplina um mapa. Um mapa que não é de pirata, mas leva a um grande tesouro. Léo precisa desse mapa para encontrar o seu conhecimento e desenvolver o seu professor de teatro. O mapa é parecido com o mapa do Brasil, mas qualquer semelhança é mera coincidência, ou não. Léo se compara com o país e dentro dele esta tudo o que ele precisa encontrar. Assim como o Brasil, o mapa de Léo tem 5 Regiões principais: Norte da Vida, Etnografar, Antiestrutura, Entretecer e Work-in-process.

o brasil do léo

O Norte da Vida é, no momento, a região que mais ocupa espaço no território interno de Léo. Ele precisa passar por essa região e se encontrar por ali, descobrir cada centímetro dela, ver o que ela tem pra oferecer e o que pode ser exportado e como essa região pode diminuir o seu espaço dando a oportunidade para outras regiões crescerem.
Etnografar é a região que Léo mais quer conhecer. Assim como a região nordeste do Brasil, a região nordeste do mapa de Léo é cheia de conhecimentos, ele precisa ser turista, conversar, observar e registrar. Um álbum completo de registros de suas conduções, de experiências com o outro, de aprendizagem com as pessoas e de pesquisa. Léo entende que a esta é região que ele mais tem potencial para se desenvolver.
A região centro-oeste do Brasil estimulou Léo a pensar na sua região Antiestrutura.  Quando a capital do Brasil deixou o grande eixo do sudeste para se instalar no centro oeste, foi quebrada uma estrutura, uma quebra que possibilitou uma expansão do desenvolvimento. Léo quer levar esse exemplo para sua vida. Uma quebra de estrutura pode ser o inicio de um grande desenvolvimento. Se permitir experimentar e permitir que seus futuros alunos experimentem é o que Léo quer descobrir e viver nesta região.
A região Entretecer é a mais difícil para Léo. Assim como a região sudeste do Brasil, entretecer é a mais povoada, aquela que precisa de mais contato com as outras pessoas, o fazer junto, o crescer junto.  Léo gosta desta região, mas ainda tem limitações que precisa trabalhar.
Work-in-process, é onde Léo quer se encontrar. A vida é um processo em andamento e não adianta querer cobrar resultados imediatos. Cada dia é uma grande apresentação, o aqui e o agora são tão importantes quanto a apresentação da peça de fim de ano dos alunos. Léo quer achar esse tesouro no mapa. O tesouro de valorizar cada momento do processo e não apenas o resultado final.
O mapa leva a um grande tesouro, mas ainda é necessário aprofundar em cada região. Os estados, cidades, regionais, bairros e ruas, ainda têm muito pra ensinar Léo. A caminhada por esses territórios é longa e demorada, cheia de obstáculos, mas o mapa mostra o caminho, basta segui-lo e prestar atenção por onde anda.

Léo de Castro

FIM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


− seis = 2