Ainda se pode ser feliz

Brechas para ser feliz

brincar, criar, teatralizar, viver

Junto com o “caos federal” procurando organização (ou seria melhor verbo forjando?) o semestre letivo aproxima-se do seu final. Tenho tido bons momentos com os alunos nesse sentido.

Um dos bons momentos acontece todas as quartas-feiras de tarde, na disciplina criada por mim intitulada “Abordagem espiral no ensino de arte”.

A partir de um fato familiar – meu irmão fechando sua fábrica de brinquedos, a S’ócio – surgiu a oportunidade de usar alguns brinquedos herdados por mim para que os alunos compreendessem algo sobre o brincar e o fazer artístico, performático ou não:

Cada aluno ganhou cerca de 50 pequenos leões e 50 etiquetas adesivas.

A primeira ideia foi politizar a ação: as etiquetas teriam dizeres que manifestassem a contrariedade, justamente, com o caos federal forjando alguma organização, a partir do impeachment da presidenta Dilma.

dançar, criar, teatralizar, viver

 

Depois pensei: é mais democrático deixar os alunos à vontade para criar sua intervenção no viés político que for… uma vez que todas as posições do fazer artístico podem ser consideradas políticas…!

Assim cada um encontra-se em work-in-process, com o desafio de criar algo de fundo espiral com o material que ganhei de meu irmão e doei aos alunos.

Isso me faz feliz.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


+ 3 = quatro