“I can’t breathe!” (Não consigo respirar!)

Um rapaz negro morreu em uma abordagem policial, imagem e áudio que está nos telejornais e provavelmente nas redes sociais, e os norte-americanos estão fazendo protestos pelo país inteiro; um dos “gritos de protesto” é a frase que o moço disse por doze vezes até morrer: I can’t breathe / Não consigo respirar.

Esta frase me levou para um tempo da infância, onde um dos meus irmãos ficou preso em um guarda-roupa… durante uma brincadeira de esconde-esconde.

Minha mãe, ao perceber o acidente (a chave da porta do guarda-roupa emperrou.. precisou chamar alguém para desaparafusar as dobradiças!) conversava com meu irmão, em uma estratégia que também remete aos filmes e seriados americanos: “stay with me” / fique comigo – de modo que a pessoa não desmaie nem se entregue à experiência do abandono e do medo.

Meu irmão, aos apelos de minha mãe, respondia: ainda respiro. Eu traduzo agora: “I still breathe”. Meu irmão hoje mora em Paris mas como viveu por muito tempo nos Estados Unidos e na Inglaterra, sua linguisticidade transformou-se no inglês.

Mas felizmente ele ainda respira! E isso me deixa feliz. Quanto ao rapaz americano, morrer asfixiado (e com medo) deve ser uma das formas mais terríveis de morrer.

Meu irmão tornou-se escritor, músico e performer:

foto por Geraint Tellem

Para conhece-lo visitem seu site: www.pedrodealcantara.com

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


3 + = sete