Categoria: cotidianeidade

Quando eu desagacho?

Vou precisar ficar agachado, pro resto da vida?? Brinco com a pergunta acima para poder discutir, novamente mas talvez mais profundamente, o que é então “agachar-se”… pois alguns podem compreender como se fosse uma forma de negar ou abstrair o…

A invenção daquilo que não sei

Para pensar [e viver] a arte como âmbito, não como linguagem Estive em janeiro em uma roda de conversa na Escola Municipal de Iniciação Artística de São Paulo, na busca de por em circulação noções sobre ensino de arte, currículo…

Uma metapostagem

Brinca comigo Com a proximidade do Natal, decidi escrever algo sobre o consumo voltado para crianças; pensei: “será que já não escrevi sobre isso?” Como o Agachamento existe desde janeiro de 2011, fui pesquisar… colocando na ferramenta de busca do…

O bebê pesquisador

A delicadeza deste vídeo me levou a lembrar de uma frase, para alguns já gasta, para outros, um chavão, mas que ainda assim faz sentido para mim: O silêncio é uma prece. O modo de filmar, o contexto da sala,…

Sobre as novas famílias

Novas famílias implicam em novas psicologias, sociologias, antropologias Fui apresentada pelo Ernani Maletta, artista-professor da UFMG, ao trabalho dos atores que fazem postagens no YouTube com o codinome “Porta dos fundos”. São brincantes, humoristas bem humorados com sacadas incríveis –…

Tem ‘momento certo’?

Na semana que termina hoje Belo Horizonte teve um feriado, portanto, tivemos uma espécie de semana de três dias. No dia do feriado fui falar na UFOP, Universidade Federal de Ouro Preto. No sábado minha prima me conta deste menino,…

Conhecer o ao redor

A vida está nas ruas! Se o leitor do Agachamento quiser um conselho… sobre férias, lazer, infância e significações para o tempo livre… eu dou, e digo: vá pra rua! Na rua está o mundo compartilhado, entre crianças e adultos.…

Performar em 2013

O jornal “A Folha de São Paulo” acaba de fazer uma breve matéria comparando 1968 e 2013, entrevistando alguns ativistas daquele momento e criando um “quadro comparativo” entre os movimentos. Assim soube que a chamada “Passeata dos 100 Mil” faz…

Crescidos como pomadas (“uso externo”)

Perigos na direção de um “falso self” Que momento extremamente delicado estamos vivendo! Paradoxalmente bonito e feio. Soube de notícias preocupantes sobre uma parcela da juventude que “saiu à rua” em Belo Horizonte. Respondiam, aparentemente – e alguns de seus…