Categoria: projetos sonhados

Reinventar-se

Sobre ser capaz de rever “demandas” Na sexta-feira dia 27 de setembro (Viva Cosme & Damião!) iniciei, ainda que timidamente, o Laboratório de Pedagogias Teatrais na Escola de Belas Artes. Com cinco participantes na plateia, eu e o aluno Raysner…

Eu vim debaixo do barro do chão

Noção de poética própria Percebo que muitas vezes quando incentivo os alunos às suas “poéticas próprias”, eles me estranham… pensam, “o que seria isso?” Trabalhar sua poética própria é trabalhar seu “eu”, seu “ser-no-mundo”, seu “self”. É portanto chegar perto…

Outono brincante em um belo horizonte

Estive neste frio domingo de outono com alunos da UFMG no Parque Municipal de Belo Horizonte para realizar um “experimento teatral”. A partir de minha observação da teatralidade contida no passeio de burrinhos que o Parque proporciona às crianças, conduzido…

Muda o mundo ou muda eu?

Domingo passado foi um dia no mínimo curioso. Era dia das mães em alguns lugares do mundo; era final de campeonato mineiro em Belo Horizonte; era o último dia do espetáculo Adeus à Morte no Teatro Galpão Cine Horto… ao…

Sombra grátis?!

Hoje, dia 4 de maio de 2013, aconteceu uma performance coletiva na Praça da Estação, meio-dia em Belo Horizonte. Muitas pessoas levaram sombrinhas e aderiram ao chamado: fazer sombra “grátis” na Praça que nos mostra apenas uma árvore… longe dos…

Dramaturgias do Espaço

Espacialidade, Teatralidade, Corporalidade Quando pessoas que visitam o agachamento deixam mensagens que me perguntam “dicas” sobre o ensino do teatro… vejo como estou cada vez mais distante do teatro que pressupõe palco e plateia, texto, trabalho de “ator” e de…

Revolução do Bebê Parado!

A redenção do Bebê Parado Ontem, terça-feira gorda de Carnaval… foi o dia da redenção dos bebês parados!! Aconteceu na mesma praça que chamo de Praça do Bebê Parado a concentração de um bloco de Carnaval muito simpático, e o…

Eu quero mudar o mundo

Por outras formas de relação social Recorrentemente tem vindo ao meu pensamento, nas últimas semanas, o dizer, esta espécie de refrão: “mudar o mundo sem tomar o poder”. Sei que é um título de um livro famoso e polêmico editado…

Espirais, labirintos e bricolagens

Em meus cursos na UFMG estou procurando semear, nos alunos, o “olhar culturalista”, antropológico, especialmente diante das (altas!) expectativas com o preparo de aulas “adequadas” para grupos e suas “faixas etárias”, bem como “conteúdos” específicos de teatro para crianças, jovens,…

Homenagem a Joe Kincheloe

Novas formas de pensar Estou começando a preparar um novo curso que darei na UFMG, uma disciplina optativa, com início em março, e para isso estou retomando a leitura de alguns autores que conversaram diretamente comigo, especialmente nos últimos anos,…