Bem vindos

De pernas dobradas vamos ao chão,
para nos aproximar de formas ancestrais
de ver e viver o mundo contemporâneo compartilhado:
parece que é lá onde as coisas estão –
“debaixo do barro do chão”.

Comecei a imaginar o site-blog Agachamento no final do ano de 2010, que foi ao ar a partir de janeiro de 2011. Mantenho o Agachamento há mais de cinco anos com postagens (quase) semanais e, pouco a pouco, ampliei o leque de assuntos iniciais, que traduzi inicialmente por “Cotidiano, arte e infância”.

Agachamento era uma brincadeira, uma espécie de jogo de palavras, e, durante os anos, transformou-se em um conceito – ou ainda, em um modo de ser e estar no mundo: agachar-se é ir ao chão, onde a criança está.

O modo de ser agachado é algo que pode reverberar em múltiplos contextos, daí a amplitude que as postagens foram ganhando. Comentar filmes, programas de TV, peças de teatro e publicidade, acontecimentos da vida ordinária e assim por diante, tornou-se quase um hábito.

Agora mudo meu próprio modo de habitar o site-blog.

Todas as postagens anteriores permanecem, catalogadas sob a organização das categorias, no menu à direita; são arquivos escritos durante cinco anos e mostram meu pensamento acerca do cotidiano e das possibilidades da leitura fenomenológica do mundo, com foco especial na fenomenologia da infância.

Manterei outra rotina, talvez de uma escrita mais próxima das revistas ou dos magazines: postando textos um pouco mais longos e com menor frequência; manterei a sessão “postagem a convite” de modo mais ativo; e farei do Agachamento, aos poucos, minha “página oficial” como docente da graduação em Teatro e da pós-graduação em Artes da Cena da UFMG.

Marina Marcondes Machado